MÍDIAS

 
Micropigmentação

Micropigmentação

Adiar a cirurgia plástica e fazer correções são possibilidades da nova maquiagem.

Entre a modernidade e pós-modernidade, com os avanços do conhecimento e dos recursos tecnológicos, a beleza humana transita entre as mãos de esteticistas, cientistas e médicos.

Um exemplo claro disso é a técnica da micropigmentação ou dermopigmentação, que surgiu na esteira entre duas áreas que mantêm agora uma linha divisória tênue: a tatuagem e a depilação definitiva. São inúmeras suas possibilidades, dentre elas, retirar excessos, corrigir imperfeições e cobrir cicatrizes.

O termo dermopigmentação, segundo a designer de sobrancelhas e especialista na técnica de maquiagem permanente, Claudia Santos de Sousa, surgiu pelo uso de um aparelho denominado dermógrafo, similar a uma caneta, que ajuda a esculpir ou "delinear" os contornos, ao mesmo tempo que introduz na derme os pigmentos - preferencialmente orgânicos - similar à tatuagem.

Os locais da face em que a técnica é comumente empregada são os olhos (no contorno, onde o delineador e o lápis são usados na maquiagem tradicional; e sobrancelhas), além dos lábios. Claudia conta ter aprendido a técnica ao longo de um ano com sua mestra, Sônia Mesquita (proprietária do Beauty Center), onde atua. Desde então, vem realizando cursos para aprimorar a técnica, além de conferir congressos na área, como o 17º Congresso Brasileiro de Medicina Estética, acontece de 2 a 5 de junho, em São Paulo.

As mais de duas décadas de experiência de Sônia Mesquita com cabelos e maquiagem permanente a levaram a várias descobertas que aliam saúde e beleza. Vendo os pelos das sobrancelhas retornarem, desenvolveu e patenteou técnica específica que ajuda na recuperação da calvície, sem cirurgia. O dermógrafo tem sido seu aliado em mais cuidados à saúde, seja no tratamento de estrias, no aumento e retirada de rugas labiais sem cirurgia e reconfiguração de auréolas mamárias, pós-cirurgia. Hoje Sônia atende também na clínica do cirurgião plástico Eliseu Lavor.

A qualidade e preparo dos pigmentos a serem introduzidos na derme são elementos essenciais para se obter um bom resultado, bem como o dermógrafo, agulhas e a assepsia geral. "Quando vemos sobrancelhas ficarem com uma cor azulada, sabemos que o pigmento é inorgânico, porque os orgânicos são naturalmente absorvidos pela pele e vão clareando naturalmente até surgir a necessidade do retoque", diz Claudia de Sousa. Informa que os inorgânicos costumam causar reações alérgicas por conterem chumbo e zinco.

Por se tratar de um procedimento invasivo, o oftalmologista Rafael Dias Marques Nogueira ressalta a necessidade de serem tomados todos os cuidados para evitar a contaminação do material a ser usado e infecções. Chefe do Serviço de Oftalmologia do Hospital Universitário Walter Cantídio e coordenador da Residência Médica em Oftalmologia do HUWC, Nogueira revela que a blefaropigmentação, tipo de "tatuagem" realizada na margem palpebral dos supercílios (em substituição à maquiagem diária), é feita com pigmento e técnicas similares às usadas em outras regiões do corpo.

"Este procedimento, realizado comumente em salões de beleza e em estabelecimentos de tatuagem, pode causar apreensão devido às pálpebras estarem em contato direto com os olhos", alerta o médico. Para reduzir os riscos, é prudente que o paciente consulte um oftalmologia para afastar a possibilidade de doenças oculares. Casos de blefarites, meibomites e alergias contra indicam o procedimento, informa o Dr. Rafael Nogueira.

Por não serem realizados por médicos, o oftalmologista admite não existirem informações precisas sobre a incidência de complicações decorrentes desses procedimentos. "É provável que esses casos sejam sub diagnosticados. A literatura científica relata casos frequentes de hepatite B, de triquíase (inversão dos cílios, causadores de lesões oculares sérias), meibomite (inflamação das glândulas de Meibomio), sensação de secura nos olhos, ceratites, madarose (queda dos cílios), entre outras".

Cada detalhe deve ser observado com atenção para a obtenção de um resultado satisfatório em todos os aspectos. É fundamental que a pessoa a ser submetida a uma maquiagem definitiva, informe sobre seu estado de geral de saúde.

ROSE MARY BEZERRA
REDATORA

Fonte:  Diário do Nordeste
 
VOLTAR